18 de fevereiro de 2016

DOENÇAS NEGLIGENCIADAS

Vivenciamos hoje uma das piores catástrofes epidemiológica de toda uma história das Américas, EPIDEMIA provocada através do mosquito AEDES EGYPTI, transmissor de doenças como: Dengue, Chikungunya, Zica vírus, Febre Amarela.

Por que estas e outras doenças são colocadas como doenças negligenciadas? Por que no Brasil por exemplo, a falta de saneamento básico e de água encanada matam anualmente milhares de pessoas? POR QUE as obras desse tipo de atendimento ao povo são desvalorizadas pelos governantes?

Porque são obras que se escondem por baixo da terra, não são vistas pelo povo! Porque na prática nós só damos valor aquilo que vemos!

É mais fácil criar um projeto social que proliferem a ideia de matar a fome de um povo, carente de alimentos para o corpo. Do que desenvolver projetos que combatam uma catástrofe eminente, mais invisível aos olhos dos eleitores. É aquele ditado popular, aquilo que os olhos não veem o eleitor não sentem, as cegueiras do eleitor no Brasil lhes proporcionam ás catástrofes que se proliferam de geração a geração. Nossa cegueira deixa a vida ainda mais injusta, a questão da forma de fazer política no Brasil também faz parte desta epidemia e todos os governos que adotam estas práticas são os culpados por estas catástrofes.

Existem projetos de punir a sociedade que não colaborarem com os agentes de saúde. Isso é um dos maiores absurdos que se possam imaginar, vindo da parte do Estado. Cobrar da população aquilo que o próprio estado deixou de fazer por negligencia. Essas questões de doenças epidemiológicas contraídas através de carências em serviços sanitários, deixam claro a falta de políticas especificas em infraestrutura nas cidades dos nossos estados do Brasil.

Até então estes descasos, eles não tinham rosto, mas agora tornam-se evidentes e é preciso urgentemente que os cidadãos acordem do sono da mesquinhez partidária que a décadas veem prejudicando e comprometendo todas as gerações passadas, presentes e futuras.

A microcefalia, doença congênita do Zica vírus afetará toda uma geração, que no futuro, ainda que estejamos preparados para conviver com os microcefálicos, eles estarão à mercê de toda uma sociedade preconceituosa, despreparada politicamente e socialmente.  É claro que o despreparo do sistema governamental não pode ser atribuído somente aos que fazem ás administrações atuais, isso acarreta todo um histórico administrativo passado. Que geralmente vem sendo copiado por gerações.

Eu, desde o início dos primeiros casos das tais viroses aqui no nosso município quis estabelecer meu ponto de vista em relação ao assunto, mas vi tantos depoimentos sobre essa questão que achei melhor não me expor. Mas desde que esta virose teve uma dimensão a nível nacional e até continental. Que me senti na obrigação de fazer minha observação sobre tema. Observo o quanto estamos vulneráveis, ao contágio de doenças, muitas vezes por inanição dos órgãos públicos por falta de pro atividade.

Que façamos nossa parte, mas que os órgãos públicos que são os principais responsáveis pela boa administração social de um povo, possam agora mais do que nunca fazer realmente a sua parte, para que possamos juntos, puder público e sociedade, vencermos mais essa batalha.        

JOSÉ DALVINO

0 comentários:

Postar um comentário