27 de março de 2016

FALTA INTELIGÊNCIA E SOBRA DESPERDÍCIO

Neste período de pré-campanha eleitoral os grupos políticos vão construindo suas estratégias em meio as conjunturas ainda indefinidas, onde as filiações partidárias dão novos direcionamentos aos pretensos candidatos.

Melhor momento para estrear esta coluna não poderia existir já que chega a ser cômica a forma como os pseudos “marqueteiros” encaminham e orientam seus clientes. É um marqueteiro para cada pré-candidato, e haja um festival de contradições e mau gosto.

De um lado, um tem uma equipe lagartixa e erra feio nas estratégias. Ou ele não ouve ninguém, ou está ouvindo as pessoas erradas, que só sabem massagear seu ego.

Do outro lado, um que montou uma equipe que é medrosa e que faz uma reunião para marcar outra reunião. Botar uma calça mais apertada e um sorriso gratuito, não vai convencer muita gente.

Em meio as duas pré-candidaturas postas na Vila de Santa Cruz, o Roberto Marinho, em miniatura, vai acendendo uma vela para Deus e outra para o Satanás, usando seus veículos de comunicação, despudoradamente, para atender as regras do seu próprio jogo em busca de um monopólio, que se coloca à disposição de quem der mais. Ô pôvin que gosta de ser enganado!

Os pré-candidatos de forma burra esquecem que existem outros meios de comunicação, que as redes sociais são os caminhos para conquista dos votos dos que pensam e que não estão engolindo as baboseiras ditas no ar e escritas.

Numa cidade dividida entre apaixonados eleitores, os indignados com a classe política deveriam ser a meta a ser alcançada, e não continuar alimentando os apaixonados com a comida de sempre.

Falta inteligência e sobra desperdício nos que pensam que comandam a comunicação política de seus clientes.

Por hoje, fico por aqui, e como diria o Laercinho Deda: “Uma coisa é uma coisa... Outra coisa é outra coisa!  

0 comentários:

Postar um comentário