15 de abril de 2016

54.501.118!!!

         É preciso posicionar em torno do espetáculo da “democracia” que está sendo esperado no próximo domingo, a amada e idolatrada rede globo de televisão já avisou que vai alterar sua programação para poder cobrir todo o processo de votação em relação ao golpe de Estado que se avoluma no país. É bem provável que depois de manobras espúrias dos partidos políticos realmente o processo de impedimento da governabilidade da presidenta seja levado adiante.
Muito bem, até ai sabemos da constitucionalidade dos termos, o que não foi provado até agora foram os crimes apontados em relação à mesma, há uma corja podre e obviamente desacreditada que quer levar o golpe até o fim, deslegitimando uma Presidente eleita de maneira legal e com apenas 54.501.118 votos.

Seja qual for o resultado no próximo domingo, ou seja, vençam os golpistas ou a democracia, que, diga-se de passagem, há tempos vêm combalida no Brasil, os resultados não serão positivos, o muro do impedimento colocado em Brasília não vai sustentar os ânimos da elite que estará de um lado e do povo que estará do outro, só pra falar na questão luta corporal, naquilo que tange aos destinos políticos do país, a esperança que venceu em 2002 agora dá lugar ao medo, políticos medíocres a exemplo de “Michel eu Temo” será o novo na sucessão caso a presidenta seja afastada, quem é esse senhor? Não há linhas suficientes para detalhar a canalhice dele, mas se ele cair e Eduardo Cunha assumir? Não temos a eternidade para falar das falcatruas desse, portanto a grande massa que pede a saída de Dilma Rousseff quer na verdade um terceiro turno no Brasil.
Se ela sair da presidência Aécio Neves estará em festa, deputados da extirpe de Mendonça Filho e Bruno Araújo se sentiram honrados de ter dado um golpe histórico na república, e falsos moralistas da qualidade de Bolsonaro e Marcos “infeliciano” serão ovacionados por uma massa de analfabetos políticos que apoiam seus discursos nazifascistas com viés religioso e salvacionista.

O governo Dilma está longe de ser aquilo que quem depositou confiança nas urnas espera, porém pior que isso será um país a beira da guerra civil para atender aos caprichos de partidos que estão até o pescoço envolvidos em falcatruas, os maiores exemplos no golpe são PSDB e o mega fisiológico PMDB. Segunda feira dia 18 de abril de 2016, o Brasil acordará com uma nova possibilidade de governança, se a presidenta ficar terá que mudar sua caminhada e colocar o trem que descarrilou nos trilhos, se os golpistas vencerem, vamos esperar para ver se realmente o caminho era a quebra do Estado de direito e da enfraquecida democracia brasileira. No mais fica o dito para ser reescrito e ponto final.

0 comentários:

Postar um comentário