31 de maio de 2016

NÃO SOMOS MERECEDORES DA CHAMA OLÍMPICA?

                          Perdemos uma ótima oportunidade de sermos apresentados para o Brasil inteiro e para o mundo. A tocha Olímpica, esteve mais perto de nós do que o mais insignificante dos seres possa imaginar. Tivemos a oportunidade de ser palco da mais importante simbologia dos jogos olímpicos; e infelizmente não fomos agraciados em poder se mostra capazes de representar nosso polo de confecção e o nosso magnifico empreendimento, o Moda Center Santa Cruz. Como acolhedor do espirito esportivo. Poderíamos naturalmente e com todos os méritos, sermos a cidade de maior representação dos jogos olímpicos do Brasil, somos do interior de Pernambuco a cidade que mais representa a união dos povos, através das diversas naturalidades que se interlaçam aqui todas ás semanas ininterruptas dos dias de feiras.
O que será que motivou o não está entre ás cidades privilegiadas, contempladas com a presença da tocha Olímpica, terá sido por falta de infraestrutura nas vias de acesso, ou por nosso território urbano ainda ser em maior parte composto por terra batida. Ou, será por que nossos representantes não são dignos de nos enquadrar nos critérios de escolha? Não teríamos nobres representantes que pudessem carregar a tocha Olímpica, ou os caprichos, mesquinhez e partidarismos impediram a honrosa presença do símbolo maior dos jogos olímpicos?    
Ainda, não somos cidade, talvez tenha sido esse o motivo da não escolha de nos enquadrar entre ás cidades comtempladas com a passagem da chama Olímpica.  Somos vila, vila, da Santa Cruz, a cidade desconhecida do mundo burocrático da Política, simplesmente por não sermos ou não termos representantes capazes de bem representar nosso povo, nossa economia, nossa cultura no esporte, nossa gente.

Perdemos a oportunidade de no mínimo, apaziguar os interesses políticos, em detrimento de um só sentimento, o dá união entre os povos. Seria uma grande oportunidade de esquecermos, mesmo por um momento, ás batalhas políticas partidárias. O egoísmo havia de ser esquecido, as rixas e polemicas corruptíveis, seriam colocadas em segundo plano, e todos por um breve momento, seriamos uma só bandeira, uma só cor, ou melhor dizendo, seriamos multicoloridos assim como os são, os símbolos olímpicos. 
Em sonhos, a tocha olímpica chegaria até o Moda Center Santa Cruz, em frente à estátua da costureira, seria erguida, todas as mídias televisivas do Brasil inteiro estaria lá, ás cores, os detalhes da tocha olímpica, se misturavam com a própria logomarca do Moda Center Santa Cruz. Em seguida toda a sociedade sairia em cortejo. Feito, de maior repercussão de nossa cidade. Santa Cruz do Capibaribe, entraria na história das olimpíadas, e o Moda Center Santa Cruz, seria vitrine e cartão postal de Pernambuco, visto no Brasil inteiro como o Maior empreendimento de confecção do Brasil e América Latina. 

JOSÉ DALVINO – CIÊNTISTA SOCIAL

0 comentários:

Postar um comentário