13 de maio de 2016

PANORAMA POLÍTICO

 “Mas vai que cola!”

O presidente interino da Câmara dos Deputados Valdir Maranhão (PP-MA), acabou metendo os pés pelas mãos, ao tentar barrar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). A tentativa foi tão esdruxula que ele mesmo voltou atrás e anulou sua tentativa de anulação. E pra quem falava em golpe, o que vai dizer dessa atitude de Valdir Maranhão. Como se diz na Praça é Nossa “mas vai que cola!”       

Pense num rabo de foguete!
Como a deliberação do plenário é soberana, a desastrosa decisão do deputado Valdir Maranhão, foi por demais infeliz, e como diz um conhecido meu “ele pegou em bomba”, pois o prazo dado para que Valdir Maranhão renuncie a presidência da Câmara expirou ontem (12), agora o presidente interino corre o risco de perder até seu mandato, pois o DEM e o PSD já protocolaram uma representação contra ele no conselho de ética pedindo sua cassação por quebra do decoro parlamentar. Como diz um Cearense amigo meu, “pense num rabo de foguete macho vei!”.

Outra vez!

Novamente a Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, reprovou mais uma conta do ex-prefeito Jose Augusto Maia, desta feita a conta em questão, foi referente ao exercício 2008. O resultado já era esperado, pois o parecer do Tribunal de Contas do Estado – TCE recomendava a rejeição, portanto restava apenas saber o placar, pois os 2/3 dos votos necessários pra derrubar o parecer à oposição não teve, e pelo visto está cada vez mais longe de ter.  No final o resultado acabou mesmo sendo 9x6.

A diferença
O que diferenciou esta votação das demais foi mesmo a presença do ex-prefeito que veio fazer sua defesa na tribuna da Câmara. Pois bem, ele veio e falou, mas não conseguiu convencer nenhum vereador mudar seu voto. Até por que em determinado momento o ex-prefeito entrou naquele seu discurso enfadonho e repetitivo de sempre. Sendo assim a diferença não fez “diferença”.

Será?
Há quem diga que o real motivo pelo qual o ex-prefeito foi pessoalmente fazer sua defesa, foram dois: um aproveitar a vitrine chamada tribuna da Câmara, ou seja, holofotes. O outro motivo foi saber de perto quem realmente esta com ele, com quem ele pode contar. Mas segundo o vereador Júnior Gomes, o ex-prefeito veio mesmo vigiar seus “aliados”. Será?  

Contrariou
O vereador Vânio Vieira (PTB), votou contrario da sua bancada e seguiu o parecer do TCE, não resta duvida que essa ação de Vânio Vieira foi uma ação de coragem. Agora só nos resta esperar pra sabermos qual será a reação que esse voto irá causar. Pois de acordo com a terceira Lei de Newton "Para cada ação, existe uma reação igual e oposta".  

Por: Nilson Pereira

0 comentários:

Postar um comentário