23 de junho de 2016

ABERTURA DO SÃO JOÃO FOI ANTECIPADA!

Mais uma vez a Erem Luiz Alves da Silva é palco de um São João que dá gosto e desejo de quero mais, esse ano a escola que tem como tradição trabalhar com salas temáticas, homenageou o forró das antigas, com bandas que marcaram época sendo destaque em trabalhos feitos em cooperação, estudantes e professores coordenadores se empenham ao máximo para preparar o cenário perfeito para que se possa sentir o autentico São João.
         Sob a regência da diretora Silvânia e o apoio da coordenadora Juscineide, as salas foram transformadas de tal maneira que não dava para pensar em outra coisa que não fosse muito forró, comidas típicas e estudantes bonitos desfilando e recebendo os visitantes, enquanto isso, jurados avaliavam os trabalhos para ao final classificar os melhores. O que se pôde constatar foi que todos deram um show, estavam representadas nas salas as bandas, Magníficos, Catuaba com Amendoim, Calcinha Preta, Canários do Reino, Capim com Mel e muitas outras. Pela manhã o destaque ficou para a banda Capim com Mel, com esforço da turma e o apoio do professor Luan (Já foi estudante da Escola), a sala não só representou a banda, trouxe a banda para abrilhantar a festa.
         Hoje a população de Santa Cruz do Capibaribe já reconhece a EREM Luiz Alves como um grande patrimônio, não apenas por feitos como esse, mas pelas boas aprovações em vestibulares, pela qualidade na educação oferecida e pelo envolvimento da comunidade escolar naquilo que a escola faz, não foram poucos os pais que ajudaram na montagem das salas temáticas, a isso chamamos gestão democrática. Mas um ano se passa e a EREM se destaca de maneira muito positiva. Aqui vão os parabéns a todos os envolvidos, que venha 2017, vai ser muito melhor.
PARA QUÊ TANTO TEMPO PARA NADA?

         O tempo não para, já dizia o poeta. Não para e não deixa esperar, se esvai como água escorrendo pelos dedos, nem dá tempo o tempo deixar pensar qual vai ser o tempo dado para que se possa pensar o nosso tempo. Não somos os donos do futuro, não somos os donos do presente, com muita sorte sabemos um pouco do nosso passado. Embora ele tenha passado e não se materialize mais. Somos na verdade seres alados que procuram se encontrar em meio a um turbilhão de ideias que nos faz sorrir, chorar e sofrer. As dores do mundo não são escassas, sobram e como sobram. O que não se pode é apequenar a vida, e o que é apequenar a Vida? Deixar de viver, a morte é tão leve como uma pluma, viver pesa mais que o peso carregado por Atlas.

0 comentários:

Postar um comentário