1 de julho de 2016

SÃO JOÃO DE SANTA CRUZ = SÃO JOÃO DE CARUARU

O São João da Moda terminou com sucesso de público, mas não por completo da crítica, se por um lado tivemos atrações de peso, estrutura de dar inveja a cidades menores e uma ornamentação que merece aplausos, tem algo que deve ser registrado para que as perspectivas futuras sejam melhores que as atuais.
         Determinantemente, uma festa que mostra tamanha quantidade de pessoas, não pode ser colocada num espaço que não cabe à metade do público. Foi feito um verdadeiro loteamento dos espaços no interior da festa, com vendedores alugando mesas que tinham valor entre dez e quarenta reais dependendo da sua localização, num aperto insuportável, dançar nesse espaço só para aqueles que são mais atrevidos. Banheiros insuficientes e uma quantidade grandiosa de pessoas desmaiando e tendo que ser retiradas nos braços de quem estava ali. Obviamente não se pode negar que quem estava nos camarotes não percebeu essa movimentação, mesmo sendo na mesma festa, lá o sentido e as pessoas são outras. Sem dúvida alguma a festa merece parabéns, porém seja o atual prefeito que continue ou outro que o substitua, alguém tem que ter coragem de tirar o São João de onde está hoje. Alguns podem perguntar, e a tradição? Simples de responder, a tradição dá lugar ao conforto de quem não tem grana para ver a festa do alto, do contrário estaremos iguaizinhos a Caruaru, o maior São João do interior, porém sem ter como se movimentar dentro dele.

O QUE VALE É O AMOR PELA ARTE REGIONAL E GLOBAL!

         É muita sinceridade para um povo só, fiquei emocionado com o apego do povo da nossa terra a banda Fulô de Mandacaru, nunca antes na nossa história tínhamos visto tamanha movimentação para que todos pudessem votar na nova revelação do Superstar (assim foi anunciado em Santa Cruz do Capibaribe, quem é que vai se lembrar que eles são de Caruaru tendo aparecido em um programa global?). O cuidado foi tanto que várias pessoas inclusive mandaram fazer camisas padronizadas para contribuir com essa cultura que tanto nos orgulha, o autentico forró. A banda ficou tão reconhecida em nossa cidade que chegou na hora que era para se apresentar e não gostou do cenário, avisou que ia dar um passeio e voltava depois, e assim foi feito, foram se apresentar em outro município e o show que se pretendia as sete da noite ficou para quatro horas da madrugada.
         Muito bem, mas o que verdadeiramente me importa perguntar é por que quando o músico Wellington Araújo esteve na final do programa prelúdio da TV Cultura (por duas vezes) não houve esse mesmo sentimento de pertença em relação à arte de um dos melhores trombonistas da região, ou melhor, aquele que representou Santa Cruz do Capibaribe. Será que é por que o programa não era na Globo? Será que é por que não precisava votar? Será que é por que o estilo era muito difícil de ser entendido? São perguntas pertinentes, para um dialogo impertinente. Tomara que Wellington chegue a tocar na Globo, aí sim vamos reconhecer o seu talento.

FRASES PARA UM MÊS DE JULHO IGUAL AOS DEMAIS!


Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.


O conhecimento serve para encantar as pessoas, não para humilhá-las.


Não quero faca, nem queijo. Quero a fome.

0 comentários:

Postar um comentário