19 de agosto de 2016

ESCOLHA AQUI SEU CANDIDATO!

As aparências enganam, adágio popular que é muito bem vindo em tempos como os que vivemos hoje, onde aquilo que parece ser sólido se desmancha como espuma ao vento. Viver de aparência não é um mal de poucas pessoas, para muitos hoje o que mais vale é aquilo que ela/ele parecem ser nas suas fotos felizes nas redes sociais do que propriamente aquilo que são. Mas, o nosso maior cuidado agora está concentrado nas fotografias de postulantes a cargos públicos em época de eleição, muitos deixam que os seus propagandistas trabalhem a figura mais original possível em torno de sua imagem, outros porém maquiam de tal maneira as feições que parecem ser outro ser no lugar daquele que se encontra pelas ruas da cidade tentando conseguir seu voto.
Não que alguém fique tentado a votar apenas por conta de mais um rosto bonitinho, ou será que ficaria? Bem, o que se pretende aqui é fazer compreender que as incertezas estão superando as certezas em torno de nossas escolhas, e é preciso cuidado para não se deixar levar pelas falsas aparências, pelas palavras bonitas sem raiz e muitas vezes apenas apoiadas na falsa imagem dos candidatos estampadas na beleza cuidada com a função de fabricar o novo dentro de recipientes velhos. Nem só de estética vive o homem, mas de pão, bebida e diversão, ingredientes basilares para a construção de uma sociedade mais igualitária e falamos em igualdade de direitos não em ficar tão “bonito” quanto o candidato, aliás, vale aqui lembrar a origem de algumas palavras começando pela palavra candidato: é uma palavra que, desgastada pelo uso, traz em si uma verdade que vale a pena recuperar. Vem do latim candidatus, isto é, vestido de branco (candidus). vem de cândido (= sem mancha), porque os candidatos tinham que apresentar uma vida imaculada. Na antiguidade, aquele que disputava um cargo público e precisava angariar votos vestia-se de branco para simbolizar sua pureza. É lógico, portanto, que exijamos de um candidato ou candidata que a sua vida, e não apenas as suas roupas, estejam limpas! (Dicionário Etimológico)

Partindo da origem da palavra avalie se seu candidato tem essas características, se ele realmente tem uma vida digna para lhe representar onde quer que seja, outra palavra que merece ter sua origem lembrada é a palavra trabalho: Do latim tripalium, termo formado pela junção dos elementos tri, que significa “três”, e palum, que quer dizer “madeira”. Tripalium era o nome de um instrumento de tortura constituído de três estacas de madeira bastante afiadas e que era comum em tempos remotos na região europeia. Desse modo, originalmente, "trabalhar" significava “ser torturado”. (Dicionário etimológico)
Muitos dos candidatos querem trabalhar por nós, ser torturados a nosso favor, sofrer para que nós não tenhamos as chagas abertas, ora caros amigos do conhecimento, a palavra trabalho hoje é associada à capacidade de aplicarmos nossas habilidades para a construção e transformação de algo a nosso favor e também do próximo, escolha um candidato que deseje aplicar sua inteligência política em favor de todos e não apenas dos seus. No mais fica o dito para ser reescrito e ponto final.

0 comentários:

Postar um comentário