7 de novembro de 2016

CONVOCADO POR ENGANO

Esta história é contada por Victor Kingma, jornalista e escritor mineiro, colecionador de causos do futebol:

“A mais desorganizada seleção brasileira de todos os tempos, foi, seguramente, aquela que disputou o Mundial da Inglaterra, em 1966. Durante os quase quatro meses de preparação para a Copa foram formadas nada menos que quatro seleções para os treinamentos. Astros consagrados como Pelé e Garrincha disputavam espaço com outros, muitas vezes desconhecidos do público e às vezes até da imprensa, selecionados por questões políticas.  Outros jogadores famosos, mas já em final de carreira, eram convocados apenas para agradar ao público por onde a seleção passava.

O técnico Vicente Feola, com tanta interferência em seu trabalho, passou o tempo todo tentando armar um time-base, e apesar do longo tempo de preparação em várias estâncias hidrominerais de Minas, Rio e São Paulo, chegou à Inglaterra sem ter conseguido.

O fato mais marcante da desorganização daquela seleção foi o incrível episódio em que um jogador foi convocado por engano. Numa das listas divulgadas pela CBD, saiu o nome de Gilberto Freitas Nascimento, Ditão, vigoroso zagueiro do Flamengo. Na verdade, o selecionado deveria ser Geraldo Freitas Nascimento, seu irmão mais velho, o outro Ditão que, após se destacar na Portuguesa de Desportos, havia sido contratado pelo Corinthians, time pelo qual brilhou por muitos anos.


Surpreso com a convocação, o Ditão caçula se apresentou à Seleção e foi incorporado ao grupo para os treinamentos. Constrangidos, os cartolas acabaram mantendo a convocação. O limitado zagueiro, evidentemente, logo acabou sendo cortado”. 

0 comentários:

Postar um comentário