16 de novembro de 2016

DIREITO DE RESPOSTA

Em resposta a um artigo veiculado no BLOG SULANCA NEWS, tendo como autor do artigo, o Sr. EDSON TAVARES, foram propagadas palavras sobre os EXAMES DE PRÁTICA VEICULAR, que se firmam como inverdades verídicas, haja vista que o mesmo generalizou todas as Comissões de Exames Práticos do DETRAN-PE, onde o mesmo não procurou nenhuma Ciretran para se aprofundar sobre o assunto, e quais os procedimentos legais para a prática dos Exames Prático.

E como somos EXAMINADORES e fazemos parte das Comissões de Exames, onde o Sr. Edson Tavares ofendeu toda a classe de Examinadores, temos o direito de nos defender e principalmente toda a atual COMISSÃO DE EXAMINADORES da 27ª Ciretran Especial de Santa Cruz do Capibaribe de tais acusações. E deixamos bem claro que nos orgulhamos e honramos a nossa função como EXAMINADOR desta Ciretran e do Órgão regulador do Estado, DETRAN-PE. E para o conhecimento e “achômentro” do autor do artigo, esclarecemos os seguintes pontos:

1º - Os exames práticos são regidos por leis federais e resoluções de órgãos reguladores, a dizer: o Código de Trânsito Brasileiro e a Resolução 168/2004 do Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN, que  o mesmo deveria conhecer, mas não usou em seu artigo nenhum argumento ou citação.

2º - Para o referido autor utilizar-se da palavra MÁFIA, que retrata a uma associação criminosa, o mesmo deveria fazer denúncias as autoridades competentes, para que fossem averiguadas tais informações, na forma de investigação.

3º - Ainda assim, como o mesmo retrata em seu artigo, “tive a oportunidade de acompanhar (de longe, pois ninguém além do candidato pode se aproximar do local do exame)”, se o mesmo estivesse verificado no CTB e na Res 168, o local do exame é de USO ÚNICO E EXCLUSIVO DO CANDIDATO E DO EXAMINADOR (Res 168 arts. 12 e 15), sendo imprescindível para segurança do exame e dos presentes, pois como já é sabido, a pessoa que está dentro do veiculo é um candidato, que muitas vezes chega sem experiência alguma no momento da avaliação pratica.
4º - Ainda, de acordo com suas palavras, acusam os examinadores de serem intransigentes e que não aceitam argumentação e ainda mais “NÃO EXISTE QUALQUER FORMA DE REGISTRO (áudio ou visual), a palavra do avaliador é a que vale”. Mais uma vez, se o mesmo tivesse procurado se informar sobre o procedimento do exame ele saberia que o EXAMINADOR é proibido de falar com o candidato, além do necessário, pois todo o percurso do exame é GRAVADO EM TEMPO REAL (na forma audiovisual) na sede do DETRAN, e qualquer candidato pode requerer a filmagem de seu exame através de pedido protocolado para a Gerência de Exames e Classificação, ou através da própria comissão de exames, que será assistida, conjuntamente, pelo Presidente, pelo chefe de habilitação, pelo examinador e pelo candidato.

5º - E quando o mesmo fala que “a palavra do avaliador é que vale”, desconhece mais uma vez o procedimento, haja vista que todos os exames são auditados e caso o examinador, por exemplo, deixe passar alguma das faltas previstas na Res. 168 e aprove o candidato, sendo esta constatada na auditoria, o candidato, mesmo sendo aprovado pelo examinador, será reprovado e não terá sua CNH impressa, até a realização de um novo exame com aprovação, ou seja, o “avaliador” não tem a última palavra.

6º - O processo para a obtenção da CNH é de 12 meses, conforme previsão em lei, e quando o candidato não conseguir a aprovação durante o período citado, ao contrário do que fala o autor, este não precisará RECOMEÇAR TODO O PROCESSO “DO ZERO”, pois os procedimentos como EXAME MÉDICO e PSICOLÓGICO, assim como as aulas TEÓRICAS e PRÁTICAS, são reaproveitadas, sendo que o candidato fará apenas as PROVAS TEÓRICA e PRÁTICA, não necessitando pagar qualquer taxa às autoescolas, pois não há a necessidade de intervenção delas no procedimento, desde que cumprida toda a etapa da autoescola. E a taxa que o mesmo paga no DETRAN, é a de reabertura do serviço, que hoje está em torno de R$ 70,00. Deixamos bem claro, que atual Coordenação e Comissão de Examinadores desta 27ª Ciretran Especial de Santa Cruz do Capibaribe sempre prezou pela transparência e lisura de seus procedimentos legais para quaisquer informações solicitadas, perante a população da nossa região.

José Nilton- Coordenador

Helder Viegas - Chefe de Habilitação

Alberto Frazão- Chefe de Apoio Administrativo


Comissão de Examinadores

0 comentários:

Postar um comentário