8 de abril de 2017

CARTA ABERTA AO GOVERNADOR

Excelentíssimo senhor Paulo Câmara Governador do Estado de Pernambuco, seja bem-vindo mais uma vez a cidade de Santa Cruz do Capibaribe – Pe. Todos sabemos que o Senhor é o Governador como tantos outros que já passaram, mas não é Deus. Todos sabemos que na medida do possível o Senhor tem feito algumas obras importantes pela cidade e região. Sabemos que o Senhor não reside com seus familiares em Santa Cruz e não tem comércio por aqui, sabemos também que o Senhor está no seu primeiro mandato de quatro anos e Santa Cruz tem 63 anos de cidade, sabemos também que o Senhor não sabe o que se passa por aqui no dia a dia e o que sabe é distorcido e quando se está presente na cidade as aparências enganam.

Venha tranquilo Senhor Governador que quanto as mazelas que destroem a cidade não são de agora e o Senhor não tem culpa nenhuma, o Senhor e outros trouxeram e trazem o pregresso e a própria cidade destrói indo na onda de vendedores de ilusão e do quanto pior melhor, é um círculo político vicioso, demagógico e demoníaco, e agora para completar a iniciativa comercial privada não quer mais trabalhar e nem vender o único produto que produzem, o que o Senhor não puder fazer para melhorar Santa Cruz não tenha remorso nenhum Senhor Governador, pois, Santa Cruz teve todas as chances do mundo - contando da década de 70 para cá o que faz 47 anos da sulanca [talvez o Senhor não tivesse nem nascido], oportunidades para sermos uma cidade exemplar em todos os sentidos imagináveis foi o que não faltaram e não o fizemos por culpa de nós mesmos e do nosso individualismo cego e de puxa sacos insaciáveis e insuportáveis socialmente.

 Se não fizemos uma cidade vacinada de tudo quanto é crise no passado, daqui para frente será mais difícil, pois, ainda temos uma cidade dividida e doentia politicamente e agora de 3 anos para cá comercialmente falando  o que é privado manda no que é público e ninguém faz nada para reverter isso, o Senhor ou outro que estivesse no seu lugar mais uma vez também não tem culpa nenhuma de Santa Cruz ter perdido o bonde da história, internamente estamos vivendo de ilusão e iludidos por culpa de nós mesmos e a partir de sua visita no dia 8/4/16 não queremos mais também iludir o Senhor sobre nossa situação crítica em todos os sentidos imagináveis, nem todos merecem isso, claro. Jesus, tenha piedade de nós, Jesus abra a mente das autoridades, da imprensa, das cabeças pensantes, das mulheres empreendedoras, dos cidadãos bem intencionados e da juventude inteligente que se aproxima.

 Pelo amor de Deus senhor governador desta vez faça uma visita diferente das outras, questione a plateia, interaja com o público presente, questione as autoridades constituídas do município, questione o ministério público, questione os representantes das entidades civis organizadas, questione toda a imprensa, pergunte a eles por que tiveram todo esse tempo e não se organizaram, questione a eles onde estão as cabeças pensantes da cidade será que sumiram ou se mudaram ou não são consultadas, pergunte a eles por que aqui o poder privado comercial erroneamente manda no poder público regional. Questione a eles de quem é a culpa por tudo isso? De todo mundo da cidade, é claro, menos o Senhor! Devolva a bola para a cidade de Santa Cruz,

 Questione também quem foi o prêmio Nobel de economia que teve a brilhante ideia de fechar as feiras aos domingos [fazendo uma comparação, é como se o Senhor mandasse fechar todas as praias aos domingo], questione a eles quem paga a conta do maior erro histórico, financeiro, social e comercial da bela história da cidade e seus empreendedores, questione a eles por que nos tempos das vacas gordas não se lembram do Estado, questione a eles por que só 12 horas de feiras por semana e 48 horas por mês onde eram 3 dias por semana e 12 dias por mês – aquele que disser que é mentira é um dos vendedores de ilusão já carimbado.

 Questione a eles quem são e onde moram os caras de pau que só fazem criticar e não resolvem nada, questione a eles como 48 horas de feiras por mês segura um polo de confecções dessa envergadura, questione a eles por que muita gente tá se mudando da cidade, questione a eles por que existem tantos imóveis na cidade para alugar e vender, pergunte a eles por que tanta inadimplência generalizada na cidade, questione a eles por que tudo aqui caiu o preço pela metade,  pergunte a eles por que nem metade da população da cidade votou na última eleição, questione a eles qual os planos e projetos para o futuro comercial, econômico, social, cultural, imobiliário, educacional, habitacional, dispolucional, produtivo, da saúde, de arborização, da segurança e da agua, ninguém sabe, mas, se perguntar pela crise a culpa é do Governador. No caso especifico nosso Senhor Governador o caos tem nome: “politicagem barata”. Se perde mais tempo com fofocas políticas do que planejando o nosso futuro, o futuro de nossa economia, de nossos filhos e netos.

Também dê sugestões aos presentes Senhor Governador como por exemplos: 1º transformar o Moda Center e o Calçadão em um shopping aos domingos como era a 3 anos atrás com tudo que tiver direito, pois, já está pronto, 2º fazer um pacto social, político e econômico por pelo menos 30 anos para se recuperar o tempo perdido e evitar gastos em políticas desnecessários,  se sugestões como essas e outras partirem de um filho da cidade o mínimo que pode acontecer com ele é arranjar encrenca e um bocado de inimigos porque a ideia não partiu deles, mesmo que sejam simples, renovadoras, logicas, salvadoras, benéficas e não tem custos financeiros. Que legal!

Se a solução dependesse do Estado era um decisão política que resolveria de vez as picuinhas da província de Santa Cruz ai o Senhor entraria na jogada o que não seria justo, questione a eles se não tiverem condições de resolver o futuro das cidades que fazem parte do polo, do Ypiranga e outras entidades, que aluguem todo o polo, até as cidades do polo se for o caso aluguem a quem realmente tem condições de botar esse negócio pra funcionar. Para quem vive aqui em Santa Cruz no dia a dia é impossível Senhor Governador não sentir vergonha do que vem acontecendo na cidade e ver todo mundo anestesiados, esperando soluções de fora onde temos a solução aqui e não queremos resolver. Somos tão inteligentes que antecipamos a crise ao retirarmos as feiras aos domingos, feira vai quem quer e quando quiser, quem não quiser ir fique em casa. Passamos 50 anos conquistando fregueses Senhor Governador e depois dissemos a eles que não seriam bem vindos aos domingos. Pergunte aos seus ouvintes quem lucrou com isso, quem está tirando proveito disso.

Não leve desaforo para casa Senhor Governador, lembre a eles que a mesma estrada que traz o progresso o leva de volta, o mesmo ônibus que traz sulanqueiro o levam para outro estado ou município o que já está acontecendo, o mesmo cano que traz água a leva de volta, a mesma empresa que vem ser instalada aqui pega o caminho de volta, etc., etc. e vão se instalar onde o povo tá unido e quer trabalhar, lembre a eles que todos os municípios do Brasil queriam possuir um potencial desses, nós possuímos, e não paramos para repensar e corrigir nossos erros cometidos, o prejuízo dos erros tá se tornando irreversível e desmotivador, não vamos aguentar por muito tempo e repetindo mais uma vez a culpa não e sua Senhor Governador, a culpa é da cidade que virou província em pouco tempo e vai de mal a pior comercialmente e para se viver por culpa única e exclusiva de seus habitantes – nem todos - que teimam em não ver que temos concorrentes comerciais de peso muito próximos de nós e estão se organizando para darmos uma irreversível rasteira. 

 Questione a eles por que tanta exigência para com os Governos Estaduais e Federais se ao longo de todos esses anos nem sequer de perto fizeram o dever de casa, questione a todos os gestores de qualquer entidade de Santa Cruz que tanto viajam se já foram a cidade de Bom Jesus da Lapa no Estado da Bahia, receber aulas de Gestão Pública e Privada do prefeito de lá. Vamos agir.

Fique tranquilo Senhor Governador, Santa Cruz tem duas opções: ou se organiza e volta as feiras aos domingos ou sai do mapa o que já está acontecendo e não vê quem não quer, e nem uma das duas opções dependo do Senhor, mais uma vez depende de nós, isso a pequeno prazo enquanto Caruaru não faz seu parque de feiras e o prejuízo se torne maior. Todos estão avisados.


JOSÉ LOPES FEITOSA [ZÉ PRETO] – Graduado em Administração, Pós graduado em Docência - UNOPAR, Educação a Distância - UNOPAR [cursando] e Gestão Pública – IFPE [cursando]. SCC, 5/4/2017.

0 comentários:

Postar um comentário