28 de abril de 2017

SOBREVIVA O POVO BRASILEIRO!!!

Dos escombros retiramos a vida que sobrou após o estrago causado pela tragédia, sacudimos a poeira e tentamos enxergar um novo horizonte além daquele que se apresenta e que já não faz mais o nosso sorriso brotar, dos escombros tentamos manter intacto o que sobrou inteiro, reunir o que foi separado e restaurar o que foi fortemente danificado, contamos as perdas irreparáveis, analisamos os danos que marcarão as próximas gerações.
Fracassei em tudo o que tentei na vida.
Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui.
Tentei salvar os índios, não consegui.
Tentei fazer uma universidade séria e fracassei.
Tentei fazer o Brasil desenvolver-se autonomamente e fracassei.
Mas os fracassos são minhas vitórias.
Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu.

Darcy Ribeiro

Em meio à desgraça escutamos o choro da criança que sobrevive sobre pedra, pó, entulho e todo tipo de sujeira, isso sufoca e exige de quem está realizando o salvamento maior agilidade para que mais uma vida não se perca frente à desgraça e ao caos da tragédia, aqueles que nada podem fazer observam e torcem para que os que podem fazer algo contribuam para que sua vida apequenada receba ao menos o último suspiro de esperança, choram as dores dos mortos e elevam pedidos para aqueles que como eles estão à beira do abismo.
Palavras de alento são trazidas por sujeitos de fala duvidosa, as dúvidas aumentam em relação às possibilidades de futuro, os mais jovens não acreditam nos mais velhos e os mais velhos em muitos casos fazem o possível para calar os mais jovens, a vida passa e boa parte não se dá conta que passa pela vida, lares são transformados em tumbas e tumbas, e assim caminha a humanidade com mortos, vivos e mortos vivos pelas ruas.
Terremoto, tsunami, furacão, vendaval, tempestade, esses são os fenômenos climáticos que causam danos irreversíveis na fauna, flora e natureza humana.

Brasília, América do sul, Brasil, é o que causa isso no povo brasileiro. Pronto não falo mais, o silêncio também tem o poder de sufocar, e hoje é dia de esperança, é mais um dia vinte e oito de abril na terra “descoberta” pelos europeus e povoada pelos males trazidos por eles. No mais fica o dito para ser reescrito e ponto final.

0 comentários:

Postar um comentário