29 de junho de 2017

FALA SILVIO...

Já me questionaram sobre qual o estilo musical que eu gosto de ouvir. Respondi que gosto de quase tudo, mas tenho minha preferencia por MPB e Pop Nacional, sem dispensar um bom forró, frevo, samba e até outros estilos dependendo do momento. É que sou do tempo em que os estilos musicais coexistiam. Não havia necessidade de sepultar um em favor de outro.

Na década de 1980 por exemplo, o rock nacional fez o maior sucesso. Diversas bandas e cantores ficaram em primeiro lugar nas paradas, sem sufocar os demais.

A banda RPM com suas loiras geladas era som obrigatório em qualquer ambiente de festa ou nas emissoras de rádio. Paralelo a isso, se ouvia Gilberto Gil, Gal Costa, Roberto Carlos, Benito di Paula, Wando, Luiz Gonzaga e tantos outros gêneros completamente diferentes.

Mas, tudo muda. Tudo se moderniza. Tudo passa. E me parece que múltiplos estilos musicais fazendo sucesso de forma paralela, é coisa do passado. Coisa de velho.

Quando o novo pagode surgiu, era preciso se ouvir apenas o pagode, com suas coreografias ‘’perfeitas’’. Quando chegou o momento do forró moderno, não havia necessidade de tocar outra coisa, senão, forró moderno.

Agora, chegou a vez do novo sertanejo. E essa nova moda é suficiente, até surgir qualquer outra coisa.

Estamos vivendo o tempo do descartável. Da valorização desmedida, e desvalorização na mesma proporção. Do consumir, porque o outro consome, sem se questionar. De jogar fora, porque alguém falou que deve ser assim.

Silvio José

0 comentários:

Postar um comentário