19 de junho de 2017

SUSPEITO DE ASSASSINAR JORNALISTA SERÁ JULGADO EM CARUARU

Está marcado para a próxima quarta-feira (21) o julgamento de um dos suspeitos do homicídio do jornalista Marcolino Júnior. O fato acontece às 9h, no Salão do Tribunal do Júri de Caruaru, no Agreste de Pernambuco.

O réu que será julgado é Rafael Leite da Silva, de 23 anos. Ele será julgado por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emprego de meio cruel, e recuso que impossibilitou a defesa da vítima) e ocultação de cadáver.

A juíza que presidirá o júri é Priscila Vasconcelos. No início do júri serão ouvidas quatro testemunhas, sendo três de acusação e uma de defesa. Depois acontece o interrogatório do réu. E em seguida a fase de debate entre acusação e defesa. Depois os jurados se reúnem para dar o veredicto, que será prolatado pela juíza.

Entenda o caso

Segundo a Polícia Civil, o jornalista Marcolino Junior foi morto a facadas dentro de um quarto de motel em Caruaru, conforme a conclusão do inquérito policial que investigou o assassinato. De acordo com a Polícia, o executor do crime foi Rafael Leite da Silva, preso após tentar vender o veículo do colunista social.

O corpo do jornalista e colunista social foi encontrado no dia 18 de abril de 2016, na zona rural de Sairé, no Agreste do estado. Ele estava desaparecido desde o dia 16. A perícia apontou que o suspeito deu um golpe de jiu-jítsu na vítima e cerca de três golpes de faca.

A causa da morte foi o "choque hemorrágico causado por ferimento perfuro-cortante". O instrumento utilizado foi encontrado em São Caetano, na casa de uma mulher com quem o suspeito tinha um relacionamento.

Foram encontrados sangue no travesseiro do quarto e nas escadas do motel. Segundo o delegado Marcio Cruz, o corpo da vítima foi transportado no porta-malas do carro do próprio Marcolino. Em seguida, foi desovado em um matagal. "Temos provas concretas para afirmar que [o homem que tentou vender o carro] agiu sozinho dentro do motel. Ele matou e colocou o corpo de Marcolino na mala do carro", ressaltou o delegado.

O outro suspeito é Davi Fernando Ferreira Graciano, de 22 anos, que ainda não teve a sentença de pronúncia anunciada, já que ainda restam alguns elementos a serem apresentados no tocante ao seu processo judicial. Os processos de ambos foram desmembrados.

G1 Caruaru

0 comentários:

Postar um comentário