2 de setembro de 2017

LULA SE ASSOCIA A MITOS DO NORDESTE EM SUA CARAVANA

Ouricuri – Padre Cícero, Luiz Gonzaga, o rei do baião, e Luiz Inácio da Silva. O roteiro da caravana Lula pelo Brasil, que na quinta-feira (31) percorreu cerca de 140 quilômetros, reuniu em um só dia três das maiores referências do povo nordestino.

Logo pela manhã, o ex-presidente, acompanhado de uma comitiva reduzida, deixou o hotel em que passou a noite, em Juazeiro do Norte, e seguiu até a capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, onde estão os restos mortais do "padim Ciço", ainda hoje uma das maiores referências religiosas do povo nordestino. De lá, seguiu para Exu, num breve retorno ao estado de Pernambuco, para visitar o Museu Gonzagão, que dedicado à vida e obra de outro ícone saído do Nordeste, o sanfoneiro e compositor Luiz Gonzaga. No fim da tarde, Lula participou de mais um ato público, desta vez em Ouricuri (PE), na Praça Voluntários da Pátria, município que também pertence a Pernambuco – o trajeto do sul do Ceará ao Piauí recorta uma área do oeste de Pernambuco.

"Muita coisa até para um homem com a força de Lula", comentavam integrantes da caravana, que chegou nesta quinta-feira ao 14º dia. "Ele não sabe dizer não ao povo que o colocou no mesmo patamar desses outros dois grandes ícones nordestinos: Padre Cícero e Luiz Gonzaga."

O homem e o mito

Realmente beira à idolatria o que se vê, principalmente nas cidades menores e no sertão nordestino, durante as passagens da caravana. As pessoas se contentam até em abraçar outros integrantes, na falta de conseguir chegar mais perto de Lula. Quem alcança o feito, sai pulando e comemorando aos gritos, seja um abraço, um aceno, ter encostado a mão nele ou as disputadas selfies.

G1

0 comentários:

Postar um comentário