14 de setembro de 2017

UMA COISA, É UMA COISA. OUTRA COISA É OUTRA COISA!

São tantas coisas, que nem sei por onde começar... Coisas cabeludas e inacreditáveis para este povo besta apaixonado politicamente, que dão até o rabo se seu ídolo político pedir.

Os fatos aqui contados são verídicos, mas nunca comprovados, o que não me incomoda nem um pouco. Infelizmente não vou poder dar nome aos bois, mas colocarei apelidos fáceis de identificar, quando necessário. Não é por medo, e sim, por precaução.

Digamos que este seja meu baú de coisas podres, guardadas no meu HD mental. Vou misturar o passado com o presente e quem quiser entender, basta forçar o juízo um pouquinho.

EMPURRANDO NO RABO DO PRESIDENTE

Teve uma época que um vereador muito solícito, para ajudar o novo presidente a “Revolucionar” a câmara ficou incumbido de cuidar do som da Casa. Ao invés de comprar tudo novinho como a lei manda, comprou algumas caixas de som usadas de um amigo, que por sua vez havia recebido em uma dívida. Empurrou no rabo do presidente entre os produtos novos. Pense num cabra “Sabido”.

QUERIA ENSINAR A ROUBAR

Em outra época não muito distante, outro vereador zangado por conta da queda do seu salário, me disse que se continuasse daquele jeito, iria tirar o pé do acelerador nos seus trabalhos no legislativo, e irritado com o presidente, soltou esta: “Isto é um besta, se fosse eu no lugar dele, iria mostrar como é que se rouba”.

A CHANTAGEM E O MAIOR ARREPENDIMENTO

Um prefeito fez seu sucessor e passada a euforia da vitória, esperava ansioso para mandar na Educação ou na Saúde (Onde tem grana), mas não foi chamado para nada. Até que apelou e inventou um dos seus enfartes. Ficou acamado e mandando seus baba-ôvo, pressionarem o prefeito, que abestalhado e sensível a doença do padrinho político, cedeu e lhe deu a secretaria de indústria e comércio. Depois conseguiu a secretaria de Educação para a família. O pobre do prefeito, não governou do jeito que queria e o grupo político perdeu o poder na eleição seguinte. Recentemente, o político me confessou que é o maior arrependimento de sua vida, e ainda me disse: “Se era para perder, eu tinha perdido do meu jeito”.  

UMA COISA, É UMA COISA. OUTRA COISA É OUTRA COISA! 

0 comentários:

Postar um comentário