20 de setembro de 2017

UMA MAÇÃ PODRE NA CÂMARA DE VEREADORES

Tenho sido vitima de uma campanha sórdida nos bastidores da Câmara de Santa Cruz do Capibaribe, mais precisamente sob a iniciativa de uma maçã podre lá existente.

Como qualquer maçã podre, esta coloca o cesto a perder, não só no propósito de me prejudicar, mas na própria postura interna da Casa. Com raríssimas exceções, os outros vereadores calam, concordam ou simplesmente e covardemente se calam, quando o assunto é Marcondes Moreno.

MAS O QUE ESTE BLOGUEIRO FEZ DE TÃO GRAVE?

Eu apenas publiquei em primeira mão o caso do auxilio alimentação, em um furo jornalístico proporcionado por um dos vereadores, que me ligou e me deu de presente a informação. Cumpri apenas uma função jornalística, mesmo tendo “vereadores parceiros”, que pagavam para divulgação de suas ações, o que é legítimo. A própria fonte da informação, se afastou de mim, me deixou no vácuo, e covardemente nega que foi ele, quando é indagado por um colega. Como sei disso? Continuo com fontes dentro do cesto de maçãs.
GRUPO DE ZAP DOS VEREADORES

Tenho tomado conhecimento de muitos diálogos entre os vereadores, tratando de certos assuntos internos. A maçã podre não para de querer minha cabeça em um prato. Uma mensagem dele, pedindo restrições a minha pessoa, foi certa vez me mostrado na íntegra. Quase vomito, por tamanha baixaria. Posso dizer, que pelo menos três fontes tenho lá.  

PEGARAM PARA CRISTO, O CARA ERRADO!

Não fui eu que baixei os salários dos vereadores, nem fiz empréstimos consignados, e muito menos botei os pés pelas mãos. Me escolher para Cristo foi uma injustiça, pois não mereço nem a comparação. Além do mais sou buchudo, sem pescoço e tenho pernas finas. Ficariam muito feio em uma cruz! Não coloco a Câmara em perigo e não sou uma ameaça. Perdi quase todos os apoios dos vereadores, restando apenas dois (Um assumido e outro escondido), mas logo perco mais um. O arrocho é grande!

MAS QUEM É A MAÇÃ PODRE?

Os próprios vereadores sabem de quem estou falando, pois no grupo de Zap deles mesmos, a campanha contra mim tem um autor e alguns aliados. A maçã podre já pediu apoio diversas vezes para que eu não tenha acesso à sala de imprensa, uso dos computadores, entre outras barbaridades, pois ajudei a organizar o setor de imprensa, reivindicando um espaço digno para trabalharmos lá. Dei sugestões e ideias, e hoje tomo conhecimento de tentativas em restringirem meu trabalho naquela Casa.

O QUE POSSO DIZER MAIS!

Posso dizer que o presidente da Casa é uma pessoa séria e nunca atendeu aos pedidos em restringir meu trabalho jornalístico no parlamento de Santa Cruz. Algumas caras feias e indiferenças acontecem em relação a minha presença na casa, mas acho normal, pois quem tem mel, dá mel, quem tem fel, dá fel, e quem nada tem, nada dá.

Finalizando, eu estou naquela Casa de Lei há mais de duas décadas. Vi muitos passarem e eu ficar. Vi muitas maçãs podres irem para o lixo e nunca mais voltarem. Este é o destino das maçãs pobres: irem para o lixo, para sempre!

0 comentários:

Postar um comentário