16 de março de 2018

MUITO PRAZER EM APRENDER!

Nunca ouvi dizer que nada feito por obrigação tivesse bons resultados, votar por obrigação, servir ao Exército por obrigação, ir fazer uma obrigação não é um ato de ação própria do indivíduo, mas algo que lhe é imposto por diferentes setores ou instituições sociais.
No entanto, talvez nada seja mais fora de contexto do que estudar por obrigação, perceba que aprender sendo coagido não forma ninguém livre, muito pelo contrário, ou a educação é entendida como libertação ou a mesma vira um tédio, estudantes que entendem ter a obrigação de ir a Escola, a Universidade, não compreendem os benefícios que o seu ato pode trazer se ele ou ela for aos mesmos lugares por prazer e satisfação em crescer intelectualmente para fazer sua cidade e seu país crescer.
Mas, nem sempre podemos culpar o estudante por isso, o contexto social em que ele está inserido contribui de maneira significativa para a visão dele quanto ao espaço escolar, no Polo das Confecções de Pernambuco, por exemplo, existe a possibilidade de jovens ingressarem no mercado de trabalho logo cedo, e sem perceber que muitas vezes estão em subempregos que não lhes garantirá autonomia futura, utilizam-se dessa realidade para colocar a aprendizagem em segundo ou terceiro lugar. Educação não pode ser colocada em segundo lugar em um país que nunca levou em conta sua importância e que por isso tem a necessidade de correr atrás do prejuízo. Escola que produz prazer em aprender, terá sem dúvidas aprendizes que tem sede de saber mais, o contrário disso faz com que todos cumpram apenas a sua obrigação. Quem gosta de fazer as coisas obrigadas? No mais fica o dito para ser reescrito e ponto final.

0 comentários:

Postar um comentário